Home » » UM TELEFONEMA OU "Desculpe, foi engano..."

UM TELEFONEMA OU "Desculpe, foi engano..."





























Lucia é uma mulher atraente, bonita e solitária. Casou-se cedo, e o marido por ser piloto de avião, passa muitos dias longe de casa. Certo dia, um entre vários de solidão, o celular tocou, um numero desconhecido e uma voz muito sensual, e um homem perguntava pelo Dr. Denis, Lucia respondeu que não conhecia ninguém com esse nome e desligou. Novamente o celular tocou e era o mesmo homem. Foi logo se apresentando, chama-se Márcio. Disse que achou a voz de Lucia irresistível e que queria conversar um pouco, que estava se sentindo só. Lucia sem nada a perder deu continuidade ao dialogo, uma conversa banal, sobre assuntos do dia a dia. A conversa prosseguiu por alguns dias e a cada dia esquentava mais, até que chegou ao ponto de gozarem durante o papo. Quando isso aconteceu perceberam que já estava na hora de se encontrarem, Lucia ficou com medo, afinal, é casada, e nunca traiu o marido. Marcaram no dia seguinte em um restaurante próximo ao emprego de Márcio. Na hora marcada Lucia chegou e ele já estava lá. Um belo homem, negro, alto e com certeza com uma pica enorme. Se cumprimentaram como amigos de longa data, porém, só de sentir aquele homem ao seu lado, Lucia ficou excitada, e percebeu pelo volume na calça de Marcio, que ele também a achou bem interessante. Ele perguntou se ela estava excitada, e ela disse que sim, ele confessou que também, pegou a mão de Lucia e colocou sobre o seu pau por cima da calça, estava como pedra, ela tirou rapidamente e ficou sem jeito. Lucia já estava quase gozando sem ser tocada, ele percebeu e disse: agora já está na hora de aproveitar toda essa excitação e gozarmos feito loucos. Foram para o motel e logo na garagem ele a encostou na parede, a beijou, um beijo daqueles que deixam fraca, suas mãos acariciavam seus seios, sua barriga, a bunda, abriam suas pernas, quando tocaram em sua boceta, Lucia quase desmaiou de tanto prazer. Gemia, sussurrava, gritava, ele tirou a calcinha dela e a chupou ali mesmo, Lucia implorava para ser comida, quando gozou na boca de Marcio. Quando terminaram foram para o banheiro, ficaram embaixo do chuveiro, no maior amasso, e Lucia partiu para ação, começou beijando a boca, depois lambeu o pescoço, foi descendo pelo peito, intercalando entre beijos, lambidas e mordidas. Marcio já estava doido, a pegou pelos cabelos e ordenou: “Chupa logo minha pica sua vadia!”. E foi o que ela fez, caiu de boca naquela delicia. Lambendo a cabecinha, deslizando a língua até tocar no saco, voltou a sugar a cabecinha, colocou mais pressão,e engoliu tudo. Sugava forte, ele a puxou pelos cabelos e disse: Para!Não quero gozar na sua boca agora! Ele a jogou na cama e foi por cima, acariciava um seio e chupava o outro, chupava e mordiscava, depois fez o mesmo no outro seio. Em seguida ele deitou na cama de frente para Lucia e disse: Vem gostosa, toma o que você quer. Ela sentou de uma vez enquanto ele dizia: Cavalga gostosa! Ela deu inicio a cavalgada, subindo e descendo lentamente, rebolova, fazia o movimento do 8 e voltava a subir e descer, tirava e colocava de uma vez, estava enlouquecida e logo gozou. Ele a colocou de 4, de frente para o espelho e foi por trás como um cachorro. Parecia que tinha 10 mãos, acariciava os seios de Lucia, puxava seus cabelos, acariciava seu grelinho e colocava o dedo no cu dela. Ele roçou seu peito cabeludo nas costas dela e falou baixinho que queria o seu cuzinho. Lucia disse que tudo bem, mas teria que ser devagar. Começou beijando a bunda dela, lambeu, deslizou sua lingua pelo reguinho, colocou um dedinho, depois mais um. Pegou um lubrificante, e passou, colocou a cabecinha. Quando estava todo lá dentro ele pediu pra olhar a cara dela no espelho, ficou mais louco ainda,e Lucia também, estava chorando de dor e prazer. Então começou a socar devagar,ela gemia, gritava, urrava. Lucia pediu que gozasse em sua boca. Ele obedeceu, lambuzou ela inteira, boca, seios, barriga. Quando terminaram Lucia percebeu que perdeu a hora e disse que tinham que ir, porém, antes de irem Marcio a fez prometer que a partir daquele dia o sexo entre eles não seria mas verbal, e Lucia como uma boa menina concordou sem questionar...
FONTE:
http://www.casadoscontos.com.br/texto/201007157
 
Support : Copyright © 2015. make naty - All Rights Reserved