Home » » TERÇA: RAPIDINHA...

TERÇA: RAPIDINHA...














































Fui despertada hj pela manhã com um chamado estridente do meu vizinho, ele precisava de uma autorização minha para continuar uma obra em sua casa q usaria o muro da divisa, fui atendê-lo sem me preocupar em trocar de roupa ou de vestir um roupão, só dei conta do acontecido qd vi os olhos deles quase saltarem em direção ao meus seios no babydool transparente.

Eu não sou do tipo q faz amizades com vizinhos , nunca tinha feito mais q cumprimenta-lo, e ali estava eu, quase nua em sua frente.

Mas nem liguei, ele disse q precisava me mostrar onde seria feito, perguntei se a esposa dele não poderia mostrar mais tarde, mas ele respondeu q a esposa estava na casa da mãe, e o pedreiro tinha que terminar a obra, sendo assim fui atrás dele.

chegando no pátio ele começou a me mostrar a obra e o tel dele tocou, ele pediu licença e foi atender, enquanto ele não vinha subi na escada q estava lá e fiquei observando e pensando se os pedreiros dele ja não me tinham visto sem roupas,pq dali dava para ver todo meu quintal onde eu com frequência me bronzeio ou clareio os pelos. Só de imaginar a cena eu fiquei ensopada de tesão, e num gesto automático levei minha mão ate minha buceta q estava bem a disposição por eu estar ainda de babydool, senti ela quente e encharcada, meu líquido molhava minhas pernas , com um sorriso safado me virei para descer e a surpresa foi maior, meu vizinho estava lá, de pau na mão se masturbando vendo minha cena, nem pensei duas vezes desci e segurei seu pau q estava duro como pedra e comecei uma punheta deliciosa nele, ele soltou um gemido timido e me puxou mais para perto dele ja levando a mão entre minhas pernas procurando minha xana ,e sem pena enfiando seus dedos dentro fazendo movimentos firmes, porem rápidos, o q me fez gozar rapidinho sem me acalmar o tesão, me sentei no degrau da escada e abocanhei o mastro dele arrancando dele gemidos agora mais fortes, ele massageava meus seios arrancando tb gemidos de mim, estavamos assim qd a campanhina da casa tocou, ele se assustou e disse ser os pedreiros, fez menção de sair p atender, e eu o peguei pelo braço e disse, ” Vai meter esse pau em mim primeiro senão vou ficar aqui”, meio apavorado mas cheio de tesão ele me virou de costas p ele , segurou firme seu pau e de uma vez enfiou td dentro de mim, foi uma delícia sentir aquilo entrando de uma vez, é um pau de um tamanho exemplar, ele começou um vai-vem frenético, como q tentando terminar rápido com aquilo, temendo alguem ver, então eu o fiz parar, me sentei na escada de frente para ele, cocloquei minhas pernas em sua cintura empinei o máximo minha bunda para frente. Então segurei seu pau e comecei fazendo uns movimentos de cima para baixo na buceta e no cuzinho, ele gemeu forte nessa hora, então levantei mais minha pernas colocando meus pes em seus ombros , segurei seu pau na entrada do cuzinho e pedi para ele empurrar, ele fazia com delicadeza enquanto os pedreiros não paravam de tocar a campanhina, então eu de uma vez empurrei minha bunda para frente fazendo seu pau entrar todo de uma vez, ele não segurou o grito de prazer, então começou movimentos de entra e sai bem rápidos, agora com o dedo ora dentro de minha xana ora massageando meu clitóris, não precisou muito para eu anunciar q ia gozar, e ele tb não se segurou , derramando porra dentro de meu cuzinho, q delícia aquilo, ele foi tirando devagar o pau de dentro de mim, me ajudando a descer, eu ainda limpei o pau dele para não sujar calça q ele estava usando…me ajeitei e fui até oportão com ele,qd ele abriu e os pedreiro me viram disseram. O patrão podia ter demorado mais e riram… Fui tomar meu banho e agora estou aqui toda molhada denovo só de lembrar do meu café da manhã de hj……………Bjs

FONTE: http://www.contosveridicos.com.br
 
Support : Copyright © 2015. make naty - All Rights Reserved