Home » » CONTOS: O MELHOR DIA NO CLUBE

CONTOS: O MELHOR DIA NO CLUBE













































Era um dia de sol como qualquer outro. Acordei cedo e decidi que era um ótimo dia para ir ao clube. Reuni algumas coisas dentro da sacola, joguei no banco de tras do carro e sai. O percurso em si ja valia a pena; o clube ficava alguns quilometros afastado da cidade mas o trageto tinha uma vista muito bonita. Liguei o som no maximo e procurei me desligar de tudo que deixava na cidade: contas, ex-namorado, trabalho ... de repente tudo era apenas uma vaga lembrança e nada, nada estragaria meu bom humor naquele dia. Cheguei no clube e estranhei o pouco movimento de carros no estacionamento, naquela epoca do ano era comum ver gente para todos os lados e carros disputando por uma boa vaga. Me dirigi ao guichê de recepção e lá havia apenas uma senhora tricotando algo (o que confirmou logo de cara que algo estava errado, geralmente esta sala é cheia de funcionarios correndo pra la e pra ca super atarefados.) Ela me disse que o clube estava passando por algumas reformas e que as quadras, a academia e a piscina estavam interditadas, mas que eles haviam mandado um comunicado pelo correio... Ótimo, correspondencia extraviada e uma viagem perdida. Já estava saindo para ir embora quando ela me disse que a sauna estava funcionando. Ñão era meu programa favorito mas entre voltar para casa com raiva e passar um tempinho ali fiquei com a segunda opção. A sauna ficava numa área atras das piscinas, tinha duas salas bem amplas uma com seca e uma a vapor. Como o clube estava vazio as saunas estavam trancadas, mas até ai eu ja sabia o procedimento e sai para procurar o Sr. Jaime que é uma especie de zelador la do clube e é ele quem guarda todas as chaves. Não encontrei o Sr. Jaime mas reparei num moço muito bonito vestido com um macacão do clube no estilo dos que o funcionarios usavam e resolvi perguntar pra ele. "Ola, você sabe onde eu posso encontrar o Sr. Jaime? Me disseram na recepção que eu poderia usar a sauna mas está trancada... " percebi que ele me mediu com os olhos da cabeçao ao pés... "O Jaime é meu tio, to cobrindo as férias dele, vou abrir pra você." Agradeci e aproveitei para notar enqunto ele andava na minha frente que ele tinha um corpo muito gostoso... Costas largas, um braço deliciosamente forte e um bundinha linda... Ele abriu a sala da sauna a vapor pra mim eu agradeci e ele foi embora. Eu estava usando um biquini desses de cortininha, preto bem pequenininho. E quando eu me dei conta que estava sozinha deitei-me em um dos bancos e comecei a brincar com os dedos na minha xaninha.... Eu não conseguia tirar o tal sobrinho do zelador da minha cabeça e foi pensando nele que fui me masturbando até gozar... por um momento tive a sensação de que alguem me observava atra ves da porta de vidro, mas o tesão naquele momento era tão grande que eu não conseguia fazer mais nada alem de afastar a calcinha do biquini com uma mão e meter na minha xaninha com a outra... Muitos gemidos depois, resolvi tomar um banho. Me recompus como pude e sai da sauna. O banheiro feminino como eu ja esperava estava vazio. Abri uma das duchas e comecei a procurar na minha sacola a toalha, shampoo e outras coisas que usaria pra tomar banho. Olhei de relance para porta e percebi que estava sendo observada, para minha surpresa reconheci pelo tenis azul que aparecia em parte na fresta da porta que era ele, o tal sobrinho do zelador. Sempre fui meio exibicionista... quando percebi que ele estava me olhando, me dirigi até um enorme espelho que dava bem de frente para a porta do banheiro e comecei a desenrrolar a toalha... soltei o cabelo que estava preso com uma pinhanha e balancei de forma que ele caisse humido e solto espalhado sob meu peito e costas... comecei a deslizar minhas maos por todo meu corpo, pelo percoço, pelos seios, contornando cada curva... Comecei a dançar mesmo sem musica, a me abaixar e levantar com movimentos lentos, bem sensuais... Desamarrei o lacinho de tras das costas e depois o do pescoço... Joguei a parte de cima do biquini pra longe e comecei a massagear meus seios com as duas mãos... Primeiro envolvia ele todo e depois me concentrava só no biquinho brincando com os dedos.... Eu lambia os dedos e lambuzava-os com minha propria saliva... Isso me deixava mais arrepiada ainda.... Continuei com uma das mãos acariciando os seios e levei a outra por baixo da calcinha para brincar com a minha ja encharcada bucetinha... Eu estava agaixada de frente pro espelho quando vi que a porta se abriu um pouco mais na tentativa dele me observar melhor... Nessa hora olhei atraves do espelho diretamente pra ele e num primeiro momento ele se assustou ao perceber que eu o havia notado, mas logo em seguida eu falei "Por que ao inves de ficar só assistindo você não se junta a mim?" Talvez fosse o que ele desejasse desde o começo, mas certamente não era o que ele esperava que eu dissesse (deu pra ver sua cara de espanto quando eu disse isso). Então ele fechou a porta, me pegou no colo e me colocou sob a mesa que estavam minhas coisas... Me beijou de forma selvagem, quase que me engolindo.... Ele foi descendo para meu queijo e nuca alternando entre beijinhos, chupadas e lambidas... Desceu até meu peito e chupou com vontade cada um deles.... Chegou a dar mordiscadinhas deliciosas que me fizeram gemer mais alto... Passou a lingua no meu umbigo e então de abaixou, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha bucetinha... Eu me cortorcia e gemia enquanto ele brincava com a lingua ora estimulando meu grelinho e hora enfiando a lingua bem fundo, chupando e se deliciando com todo meu gozo... Então foi minha hora de retribuir, ajudei ele a tirar o macacão e dei de cara com um caralho enorme desesperado para sair da cueca... Abaixei a cueca dele até a altura dos joelhoes e segurei com as duas mãos aquele pau lindo, duro, vermelho e grosso (meu tipo favorito...) comecei chupando só a cabecinha, colocando de levinho na boca e fazendo movimentos rapidinhos com a lingua... Depois fui descendo a extensão toda dele, lambendo cada centimentro da cabeça até as bolas... As bolas fui chupando também uma a uma, enquanto com as mãos alisava aquele caralho lindo.... Então coloquei ele todinho na boca (por um momento achei que não conseguiria engolir ele todo...) e comecei num vai e vem primeiro bem devagarinho e depois acelerando... olhei pra cima e fiquei mais estimulada ainda ao ver a cara de prazer dele.... ele estava em transe... quando vi que eles estava totalmente no limite, me debrucei na mesa e ele logo entendeu o recado... meteu com tudo na minha bucetinha por tras sem exitar numa estacada unica e forte, gemi alto (quase gritei na verdade...) e agradeci ao fato de não ter ninguem por perto senão com certeza seriamos descobertos... Ele começou um vai e vem delicioso com estocadas fortes e curtas que aos poucos foram aumentando a velocidade. Gozei feito louca mas implorei para ele se segurar ao maximo e nao parar de jeito algum. Ele me deu tapinhas na bunda e cada vez mais enfiava mais rapido e mais fundo... Então ele derramou seu leite dentro de mim e ele escorreu por toda a minha perna... Eu nem havia me recomposto ainda, ele me virou e desta vez me colocou deitada em cima da mesa... A mesa era meio estreita então ficou facil para ele percorrer a volta toda dela me dando um banho de gato delicioso... Lambei cada gotinha do seu proprio leite que ainda escorria de dentro de mim, dando uma atençao mais do que especial para minha virilha e bucetinha.... Pedi que ele também subisse na mesa e deitasse, entao fiquei ajoelhada com ele entre minhas pernas e comecei a chupar ele de novo.... bati uma pra ele ate que o pau dele acordasse de novo e ficasse rijo com antes.... Então eu me virei, dei-lhe um beijo na boca delicioso, esfreguei meu seio sobre sua boca e ele tentou chupar mais um pouquinho.... fiz cocegas com meu cabelo sob seu peito e quando ele estava de olhos fechados simplesmente sentindo essa caricia, coloquei seu pau na entrada da minha buceta e cavalguei como uma amazona em seu caralho... Comecei a cavalgar rapidinho e depois fui desacelerando.. as vezes eu chegava a tirar ele totalmente de dentro de mim e ele implorava por me fuder de novo.... eu roçava a cabecinha na entrada da buceta e isso deixava ele doido... entao eu sentava de repente e cavalgava com vontade de novo.... Ia contraindo cada musculo da buceta pra sentir ele mais ainda dentro de mim.... percebi que isso também o deixava doido... Sai de cima dele e dei mais uma chupadinha no pinto cada vez mais vermelho dele... entre uma chupada e outra alternei uma deliciosa espanhola, excitando ele com entre meus seios... Ele me sentou na mesa mais uma vez e abriu bem minhas pernas, meteu bem fundo na minha xana de uma maneira que me fez gozar mais do que nunca... Pra finalizar ele perguntou se eu gostava de dar o rabinho também. respondi com um sorriso e ele entendeu o recado... Lambuzou um pouco mais a cabecinha na porrinha que escorria da minha xana e vou enfiando bem devagarinho alargando meu cuzinho, ajudando com as maos.. Quando ja estava quase na metade, ele meteu o resto de uma vez só e mais uma vez começou a bombar num vai e vem dos céus que quase me fez explodir de prazer... alcancei o orgasmo da minha vida naquele momento e pela expressão do seu rosto ele foi logo em seguida... jorrou sua porra que escorria enquanto ele ainda metia no meu cuzinho... Antes que ele terminasse de derramar, chupei seu caralho para aproveitar as gotinhas restantes e engoli apreciando aquele gosto que eu tanto apreciava... caimos exaustos e descansamos por alguns momentos... Ele queria saber meu nome, meu telefone e perguntou se poderia pedir meu telefone pra gente se encontrar de novo... Eu disse que era melhor que continuassemos no anonimato pois parte do tesão todo que aquela tarde tinha provocado fazia parte do anonimato, mas pedi que ele me passasse seu celular mas que também não me dissesse seu nome... Eu anotei no meu celular simplesmente como "Sobrinho". Tomei um banho enquanto ele ainda me assistia desfalecido, deitado na mesa do vestiario feminino. Com as pernas ainda meio bambas entrei no carro e não conseguia tirar o sorriso do rosto... Liguei o radio e segui caminho na certeza de que aquele tinha sido o melhor dia no clube de todos os tempos...
FONTE: http://www.acervodecontos.com/femininos/o-sobrinho-do-sr-jaime/
 
Support : Copyright © 2015. make naty - All Rights Reserved